segunda-feira, dezembro 01, 2008

un pescado


ilustração Winslow Homer (1836 – 1910)


UN PESCADO
Para mi amigo Julian

AS PEDRINHAS DO RIO
BRICAVAM DE GIRAR A AGUA
BORBULHAS ERA O SOM
QUE SONORIZAVA
A CORRENEZA
ALI IMOVEL NA
ESPERA DO GRANDE PEIXE
TODA SUA VIDA
ERA O FILME QUE AS RETINAS
DA VISÃO REVELAVAM
A VIDA ESTAVA A PASSAR ÀS VEZES MUITO
RÁPIDA
OUTRAS MAIS LENTAS
APENAS O GRANDE PEIXE DE ESPERA
NÃO MUDARA
ERA DE TODOS OS TAMANHOS
DE CADA DESEJO CADA VEZ QUE IÇAVA
O ANZOL E O ATIRAVA NO RIO
NO MAR..
A VIDA FICAVA TODA ALÍ
PRESA ENTRE O ANZOL

E A LINHA, A ESPERA
DO GRANDE PEIXE
FUMOU PROFUNDAMENTE SEU CACHIMBO E SORRIU
TALVEZ ELE MESMO FOSSE
O GRANDE PEIXE NA LINHA DO DESTINO
QUE SE MOVIA NA CORRENTEZA DOS RIOS...

3 comentários:

poesia disse...

O pescador que se pesca ao destino dos dias
E das marés de esperas e de sorte…
O pescador dos sonhos,
Dos anzóis sem cobiça,
Dos chumbos sem repouso,
Ao fundo da alma e do mar,
das linhas de mil destinos em cada onda.
O pescador da barca e do tempo
O pescador de mim
O cardume de nós.

E tantos rios a desaguarem-me nos sentidos!

Parabéns, Carmen, pelo pesacdor/poesia!

Bjs,

poesia disse...

Entrei, hoje por aqui, não sei como. rsrs

joão m. jacinto

CARMEN FOSSARI disse...

Que lindo Poema João, maravilhoso, obrigada,parabéns bjs
carmen