quarta-feira, julho 25, 2007

SEMPRE O TEMPO



SEMPRE O TEMPO...




SEMPRE O TEMPO...

Carmen Fossari

CAMINHANDO ENTRE RUAS E ATALHOS
AO PULSAR DO DIA A DIA
ACOMPANHANDO A TRILHA
ESCUTANDO QUE O DIA
ANUNCIOU SER INTANTE SEU DE SE DEITAR,
E ,AO HORIZONTE VER CAIR EM AMARELOS E LARANJAS
AO TÍMIDO BREU DE MÃOS DADAS COM A NOITE
VINDO PELO ATALHO ANUNCIAR
OUTRO MOMENTO DE PARAR A CAMINHADA.
ME DETIVE ANTE A PRESSA DE CHEGAR,
QUE O ATALHO SEGUIRIA EU
FOSSE A LUZ DA LUA
FOSSE INSTANTE DE ELA EM PLENILUNIO
PLANAR PLENA.

ENTRE PROSEGUIR POR ENTRE PEDRAS
QUE RESVALAM
AO BEIRAL DAS FLORES SIVESTRES
QE AROMATIZAM A NATUREZA
SENTI SER PRESA FÁCIL
DO DESTINO

QUE AO TEMPO SABE SEUS DESÍGNIOS
NÃO TENTAR APRESAR
AO CAMINHAR
NA PRESSA OS SEGUNDOS TÃO VELOZES
QUE ELES TE FUGIRÃO AOS PÉS
COMO A SOMBRA QUE TE FOGE
QUANDO O SOL SE FAZ OCLUSO

APRESE APENAS TEU CORAÇÃO
AO DESTINO O TINO DAS RUELAS DE TEU CORPO
VIBRARAÃO EM TONS DAS CAMPINAS
PROSSEGUINDO A CAMINHADA

NÃO TENHA DA PRESSA TEU SENHOR
PRESA FÁCIL DE TUDO PASSAGEIRO
MAS O TEU SENTIR, TEU RESPIRAR,
TEU TRAJETO, NÃO TEM PREÇO.
DAS EMOÇÕES ALÍ NASCIDAS
DESDE QUE IGNORES AO TEMPO
SEM TENTAR INUTILMENTE APRESAR EM TUAS MÃOS
OS SEGUNDOS QUE TE AFASTAM DO MISTÉRIO


ILHA
25 VII MMVII

5 comentários:

Fernanda e Poemas disse...

Carmen,lindíssimo este seu poema,
simplesmente adorei.
Sempre que tenho tempo visito o seu blog, é uma fonte de inspiração para mim.
Parabéns,
Beijinhos,
Fernandinha

carmen fossari disse...

ESTE POEMA É FRUTO DE UM DESAFIO ENTRE O POETA JOÃO JACINTO E ESTA BLOGUEIRA DO ARMAZÉM, QUE AO SABOR DE NOTÍVOGAS, PORÉM REPLETAS DE SOL DA MEIA NOITE , CONVERSAS, AO SURGIR AS PALAVRAS PRESSA E PRESA.. ESTABELECEU O DUELAR DESAFIO... ASSIM QUE ESTE POEMA É PARA O POETA MENINO DE MONTIJO
CARMEN

carmen fossari disse...

FERNANDINHA
UMA HONRA SUA VISITA, UMA ALEGRIA AS SUA PALAVRAS,ACEITA UM CHÁ, E UMA CONVERSA? BEIJIM

joão jacinto & poemas disse...

É-me sempre muito agradável responder aos desafios.
Nem sempre é fácil encontrar a genuína inspiração. Essa é incontrolável.
Nem sempre o que julgamos querer nos é concedido.
Mas este belo poema reflecte bem a sintonia do tema proposto e a voz da alma, que mais uma vez correspondeu em mutua sintonia.

Parabéns!

carmen fossari disse...

João

ESTIMULANTE,bálsamo que poerpassa ao cotidiano, as palavras pinçadas ao poemar.
Poemas,sem lemes, mas que embarcam a alma aos mares da criação...
No anterior comentário disse ser um Sortilégio, pois que neste digo ser um PRIVILÉGIO, pequena elegia da sintonia do tema, grande sintonia da palavra alada.