terça-feira, julho 08, 2008

OFICINA PERMANENTE DE TEATRO- OPT
OFICINA PERMANENTE DE TEATRO- OPT

Nos dias 11 e 12 de Julho, sexta e sábado as 20.00 os alunos da OPT, I Semestre farão Leituras Dramáticas dos textos: ÉDIPO REI de Sófocles e A GREVE DO SEXO de Aristófanes (momentos significativos)
OPT
A OPT, Oficina Permanente de Teatro, atende alunos da UFSC e da comunidade que queiram iniciar os estudos e vivencias na área Teatral.
Os alunos podem cursar apenas um semestre, e sentindo ser de fato sua vocação, completarem até seis semestres , quando podem obter seu registro de Ator, Atriz Profissional.
Os melhores alunos da OPT podem ingressar no elenco das montagens do Grupo Pesquisa Teatro Novo.
A OPT atende centenas de atores e atrizes, alunos, servidores técnicos administrativos e docentes da UFSC, comunidade.
Segue uma linha que visa à formação do Ator, denominada DE COMO SER PARA REPRESENTAR OUTRO SER.
Desenvolver a linguagens artísticas dos significados que mais sensibilize ao futuro Ator/Atriz, dentro da variada gama das possibilidades concernentes ao fazer teatral quer como ator e ou técnico, dramaturgo etc..
Compreender o fazer teatral como um ritual ininterrupto próprio dos fazeres humanos contributivos na construção do Patrimônio Humano, dos diferentes estar no mundo em tempos diferenciados, através de culturas distintas e personalidades próprias que o universo do Teatro mantém vivo através da Dramaturgia e da Construção das Personagens.
Compreender o fazer teatral como uma herança múltipla e milenar, da história humana, repetida desde os anfiteatros gregos aos dias de hoje, quer nas ruas, teatros convencionais ou espaços transitórios.
Optar em romper paradigmas do fazer teatral e ou reconstruir o tempo presente com a cena que nasça da contemporaneidade. Estes alguns caminhos que a OPT torna prioritário nestas mais de duas décadas de estudos teatrais junto a UFSC.

AS LEITURAS DRAMATIZADAS
ÉDIPO E LISÍSTRATA, CENAS (RE) LIDAS
O Herói trágico ÉDIPO, que ao nascer recebe a profecia de que matará seu próprio pai, desposará sua mãe com quem terá filhos e a “heroína”
cômica Lisístrata, querendo dar um fim as sucessivas guerras, lidera
mulheres numa greve de sexo, como forma de pressionarem aos seus maridos de votarem pela Paz.
Dois personagens fortes, dois gêneros teatrais e um único palco.

A Leitura Dramatizada dos Textos Gregos Édipo Rei e A Greve do Sexo objetivam o contato dos alunos com o público, e ao mesmo tempo visa ampliar o público consumidor de Teatro, ofertando textos da Dramaturgia Universal.

A apresentação contará com um figurino confeccionado pelos alunos, através da Disciplina Historia do Figurino. Ministrada por Lou Hamad, que além de figurinos e aulas para teatro, atua na Direção e Arte do Cinema Catarinense, tendo sido premiada por seu figurino no Filme de Sylvio Back: CRUZ E SOUSA O POETA DO DESTERRO
Os alunos tiveram ainda aulas com os professores e atores do Grupo Pesquisa Teatro Novas: Sérgio Bessa, também diretor de Teatro e Bonequeiro e Alexandre Passos, que realiza Oficinas de Teatro pelo estado de Santa Catarina
A orientação da Leitura Dramática é da coordenadora da OPT, Carmen Fossari, dramaturga e Diretora do Pesquisa Teatro Novo




OPT –MMVIII I

Serviço: ÉDIPO E LISÍSTRATA, CENAS (RE) LIDAS
Leitura Dramatizada dos momentos significativos de Édipo Rei de Sófocles e A Greve do Sexo de Aristófanes, com alunos da OFICINA PERMANENTE DE TEATRO
ELENCO:
Claudete Terezinha da Mata, Mariana Lapolli, Lúcia Amante, Fernando Marcelo Silva, Emanuela Espíndola, Gabriel Rodriguez Orcajo, Eliana Cristina Bär, Bruno Longo, Danielle Cascaes, Ana Cristina Schmidt, Jean Rocha, Ana Lucia Kroeff Vieira, Jeanini Caminha, Eloisa Dornelles,Sonia Dutra,Raquel Chaves,André Petrosky,Tayla Rocha,Cenira.dos Anjos,Raquel Chaves
Contra Regra e Apoio: Edileusa Berns, Daniel Goularte,Marino Mondehen
Figurino: Lou Hamad
Confecção dos alunos apoio na execução alunas Jeane Silva Siqueira,Grace Koerner e Marina Marques.

Direção: Carmen Fossari
Dias 11 e 12 de Julho às 20h
Local: Teatro da UFSC

ENTRADA FRANCA

PROMOÇÃO: DAC- Secretaria de Cultura e Arte - UFSC

5 comentários:

joão m. jacinto & poemas disse...

Olhando a fotografia, lembrei-me dos meus tempos, em que ainda novo, me envolvi com alegria e prazer na aprendizagem da arte de representar, tanto no Centro Cultural de Benfica, como na Escola Superior de Teatro, no Conservatório Nacional de Lisboa, e quantas pessoas conheci e amizades fiz. Tenho saudades desse tempo. Diverti-me e aprendi imenso.

Espero que esses jovens encontrem no teatro a grande escola, que os leve até eles e amadureçam com segurança de forma, que representem dignamente em qualquer palco, mesmo o da vida, quando necessário.
Máscaras?! Todos as temos! Dispam-se delas, no dia-a-dia, na vida real e sejam felizes, sem esquecer os outros.

Viva o TEATRO!


Tudo de bom para si Carmen!

bj,


joão m. jacinto

joão m. jacinto & poemas disse...

errata

Máscaras?! Todos as temos! Dispam-se delas, no dia-a-dia, na vida real e sejam felizes, sem esquecer os outros, com quem naturalmente contracenam.

CARMEN L. FOSSARI disse...

Poeta João Jacinto
Que lindo o que dizeis aos Jovens Atores e Atrizes que descobrem agora o mundo mágico das sete táboas ,referência de Lope da Vega ao Palco.

Também me fez recordar meus quinze anos quando estreei ao palco no Teatro Álvaro de Carvalho, interpretando Lisístrata, era jovem demais à Personagem,montagemn interditada pela Ditadura, por incitar a Greve, sessão maldita, meia noite, teatro abarrotado, festival nacional, portas trancadas, polícia ao entorno e no palco o páis da liberdade, do não medo, da coragem e da Vida renascendo do público para o público.

Tive a sorte de um excelente diretor Sérgio Lino, e o amor ao teatro só se faz aflorar cada dia mais, como um mistério que beija a vida.
Lembrei-mne também do que me disse de seus personagens J. Tesoura, Gil Vicente..
La nave va...a vida volta em cada estréia do pensamento circular..
Obrigada por sua vinda ao Armazém,
como ao Teatro , esta lírica amizade só faz aumentar o bem querer

bjs

Carmen

joão m. jacinto & poemas disse...

Tantas as personagem que tenho habitado, que me esqueço de algumas e já me falha a memória, também de algumas fases; o tempo.
Mas no teatro fiz de fidalgo, diabo e tolo (Gil Vicente) e também de João…

Bjs,

jj

CARMEN L. FOSSARI disse...

Que se esqueça de Personagens é compreensível , de outra forma penso que um poeta astrólogo sabe datas que de fato lhe sejam ao mínimo relevantes.
Agradeço a visita ao Armazém, obrigada

C.